Analytics

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Reintrodução do Glúten

Oi Pessoal,

Ontem foi um dia muito importante para mim: o início de uma jornada de 3 meses de reintrodução do glúten na minha dieta. Confesso que estou um pouco apreensiva com o que vai acontecer nesse período, mas também estou confiante que dessa vez vou conseguir chegar ao final desse teste sem grandes danos (tomara)!




Essa reintrodução pode parecer estranha, mas para mim  é necessária para que eu possa fazer um exame: a endoscopia com biópsia de duodeno, que é o exame mais indicado para diagnosticar a doença celíaca. Para quem achou estranho, digo que a reintrodução realmente não seria necessária se eu tivesse sido um pouco mais cautelosa antes de excluir, por minha conta, o glúten da minha alimentação.

Quero compartilhar com vocês um pouco da minha história e como cheguei até esse momento e quem sabe assim outras pessoas não cometam o mesmo erro que eu cometi. Como a história é longa e hoje o dia está um pouco curto, vou fazer um resumo e se for necessário, conto com mais detalhes em outro post.

Ao longo desses 3 meses, vou colocar também algumas atualizações da evolução do meu "desafio do glúten".

-- Lembrando que não sou médica e que o texto se refere ao meu caso e minha experiência. Escrevo no intuito de compartilhar o que aprendi nesse longo processo, mas qualquer caso deve ser avaliado por um profissional qualificado para tal. --

Eu comecei a passar muito mal, com dores abdominais muito fortes e diarreia, no final do ano passado. Fiz uma série de exames e o único que apontou alguma alteração foi o exame de intolerância a lactose, o que não foi nenhuma novidade pra mim. Como eu permanecia passando mal mesmo depois de cortar 100% o leite e derivados, comecei a reparar em outros alimentos tentando identificar alguns que piorassem meus sintomas.

Percebi que não estava me dando muito bem com o glúten (dentre alguns outros alimentos) e mesmo nos meus exames de sangue não havendo nenhum indicativo de doença celíaca ou alergia ao trigo, devido a algumas dificuldades para seguir me consultando com o gastro que estava me acompanhando na época, eu resolvi tentar um período sem glúten, por minha conta. Percebi uma leve melhora mas ainda segui passando mal.

Depois de algum tempo sem glúten e de trocar de gastroenterologista porque mudei de cidade, tive uma evolução no meu diagnóstico: tenho Síndrome do Intestino Irritável (SII). Com esse diagnóstico, alguns meses do tratamento que estou fazendo para a SII e acompanhamento nutricional, finalmente estou passando bem. =)

A questão é que depois que parei de comer alimentos com glúten surgiu uma preocupação: quando comecei a pesquisar mais informações sobre o glúten e a doença celíaca, vi muitas pessoas que hoje tem o diagnóstico de DC dizendo que seus exames de sangue para a doença deram negativo e que o diagnóstico só foi feito com a endoscopia com biópsia do duodeno.

Comentei essa preocupação com minha gastro atual (quando comecei me consultar com ela, já não estava mais consumindo glúten) e embora ela tenha me tranquilizado bastante ao dizer que acha pouco provável que eu tenha DC porque meu quadro clínico é bem característico da Síndrome do Intestino Irritável, ela também me explicou que realmente o exame de sangue pode, em determinados casos, dar falso negativo. 

Como eu tirei o glúten da minha alimentação, mas não tenho outros cuidados que são essenciais para quem é celíaco (como por exemplo, verificar se há glúten em cosméticos que uso ou eliminar a contaminação cruzada*), optei entrar no "desafio do glúten" para fazer o exame, tirar de vez minhas dúvidas e me cuidar da forma mais adequada para o meu caso.


Dia 1 do desafio do glúten: Meio pão árabe
Tanto para os exames de sangue quanto para fazer a endoscopia, é necessário que a pessoa esteja ingerindo glúten regularmente para que o resultado seja confiável. Por isso, o que eu mais gostaria de destacar aqui hoje é o que eu aprendi tarde demais: 

Não é uma boa ideia excluir o glúten da alimentação sem antes haver uma avaliação criteriosa por um médico! Isso pode dificultar um diagnóstico correto.

 Ao longo do meu tratamento para a SII, eu tentei algumas vezes reintroduzir o glúten, mas como eu ainda não estava 100% bem, acabei sentindo alguns desconfortos e posterguei por bastante tempo a realização do exame. Agora que o resultado do tratamento está mais consistente, já estou há um mês sem nenhuma crise e me sentindo mais confiante de que o quadro está sob controle, decidi que é hora de finalmente saber se tenho qualquer problema com o glúten ou não.

Me desejem sorte! =)


*A contaminação cruzada ocorre quando utensílios, equipamentos ou até mesmo o ambiente são compartilhados para produzir / preparar alimentos com e sem glúten, já que ficam vestígios do glúten nesses equipamentos ou no ar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...